23/12/2018

Sem Apoio, Fanfarra de Holambra corre risco de encerrar atividades

Mario Sitta, um dos criadores da fanfarra, afirma que a situação é preocupante

Michael Harteman

A Fanfarra Amigos de Holambra já faz parte, há tempos, da rica história e também da cultura da Cidade das Flores. Sempre que se apresenta, a banda arranca sorrisos dos espectadores. Com seu som marcante e bem construído, o grupo consegue cativar moradores locais e turistas, fazendo de cada apresentação um espetáculo marcante. Quem já viu de perto, sabe, os sons propagados pelos músicos, além de alegrar, é capaz de dar uma boa chacoalhada no peito. Pois bem, toda essa bela apresentação, com sua riqueza de caracterização e som, pode sumir, silenciar-se.

Quem confirma, com tristeza, o risco do fim das atividades é o regente e coordenador do projeto, Mario Sitta, que também foi um dos criadores da Fanfarra Amigos de Holambra. Sitta explica que o momento é bastante delicado, pois falta apoio. “Quem sempre nos apoiou e ajudou foi a Expoflora, eles cedem o espaço para gente ensaiar e, em contrapartida, a gente sempre tocava para eles no evento”, explica Sitta. No entanto, o cenário tem ficado complicado num período recente, já que o espaço da Expoflora tem ganhado cada vez mais eventos. “Com isso, a gente começou a ser levado de um lugar para o outro para os ensaios, indo de sala em sala”, ressalta.

No entanto, a maior preocupação se Sitta não se refere às constantes mudanças de local, mas sim ao tempo de ensaio, que tem se reduzido mês a mês. “Mudar de sala em sala é cansativo, mas tolerável. Só que por causa dos diversos eventos que acontecem no espaço da Espoflora, a gente começou a ter menos tempo para ensaiar”, aponta Sitta e acrescenta: “Casamentos, formaturas, Hortitec, Enflor, tudo isso atrapalhava os ensaios”.  Apontar o problema não significa que Sitta não seja grato ou esteja magoado com os organizadores da Expoflora. “Eu não estou reclamando da Expoflrora, o ambiente é deles e eles tem que fazer dinheiro com aquilo para se auto sustentar, eles colaboraram enquanto puderam. Só que agora está ficando inviável”, ressalta.

Arquivo pessoal

Sim, basta conversar com Sitta para entender que ele é grato pela parceria saudável que sempre existiu com o evento. No entanto, o problema é grave. Sem espaço para ensaiar a fanfarra corre sérios riscos. “Precisamos de espaço e tempo para ensaiar, e no momento está complicado, falta um espaço físico que seja seguro para ensaiar e deixar os instrumentos”, exclama o regente.

Após 17 anos de dedicação, Sitta sabe que o desgaste é grande em estar à frente do projeto. Abandonar o barco e deixar que outro se vire com os problemas seria uma opção. Não para Sitta. “Tem jovens que dizem que se eu sair, eles assumem, mas como vou sair e deixar as coisas do jeito que estão para eles?”, pergunta Sitta. O regente também explica que, embora a prefeitura apoie o projeto, não há como eles ajudarem mais, já que a Associação da Fanfarra Amigos de Holambra é particular. “A prefeitura já vem fazendo o que pode”, ressalta Sitta.

Não há dúvidas, a Fanfarra Amigo de Holambra precisa de apoio, ajuda. Empresas e pessoas que tiverem interesse em colaborar podem entrar em contato através do telefone (19) 9 81309268; dos endereços: [email protected], ou por meio da página oficial da Fanfarra no Facebook – @fanfarradeholambra.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Holambrense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.