31/03/2016

Para prevenir H1N1, vacinas contra a gripe serão antecipadas em Holambra

Medida foi tomada pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.

O aumento de casos de gripe H1N1 em São Paulo fez com que a Secretaria de Estado da Saúde antecipasse a vacinação em Holambra e nos demais municípios. As doses que passam a ser liberadas nesta sexta-feira (1) pelo Ministério da Saúde devem ser entregues até o dia 15 às secretarias de estado para redistribuição nos municípios. O objetivo é que elas cheguem antes da data oficial da campanha, dia 30 de abril, às cidades.

Oficialmente, a campanha de vacinação começa no dia 30 de abril, mas devido aos recentes casos da doença ela foi antecipada. Só de janeiro a 22 de março deste ano já foram 260 registros de infecção por influenza A H1N1 no Estado. Desses, 38 foram a óbito. “[A gripe] está circulando em todo o estado e todos podem pegar, mas não há o que se preocupar, é uma gripe comum”, destacou a assessoria da Secretaria do Estado da Saúde. A medida preventiva é para conter os recentes casos.

Em Holambra, a Diretoria Municipal de Saúde informou não ter nenhum registro, mas que um óbito é investigado pelo Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo.

Morador de Holambra morre com suspeita de H1N1

As vacinas distribuídas pelo Ministério da Saúde são voltadas para o público vulnerável — crianças até cinco anos, idosos, grávidas, mulheres que acabaram de dar à luz (até 45 dias após o parto), indígenas, profissionais de saúde, pessoas privadas de liberdade e com morbidade.

Assim que as vacinas chegarem à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, um cronograma de distribuição deve ser organizado. Ainda não há datas para a chegada das vacinas à Holambra.

A vacina contra a gripe distribuída na rede pública é produzida pelo Instituto Butantan, unidade ligada à pasta, por meio de um processo de transferência de tecnologia.

policlínica2

H1N1

A gripe H1N1, ou influenza A, é provocada pelo vírus H1N1 da influenza do tipo A. Ele é resultado da combinação de segmentos genéticos do vírus humano da gripe, do vírus da gripe aviária e do vírus da gripe suína.

O período de incubação varia de 3 a 5 dias. A transmissão pode ocorrer antes de aparecerem os sintomas. Ela se dá pelo contato direto com os animais ou com objetos contaminados e de pessoa para pessoa, por via aérea ou por meio de partículas de saliva e de secreções das vias respiratórias. Experiências recentes indicam que esse vírus não é tão agressivo quanto se imaginava.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) não há risco desse vírus ser transmitido através da ingestão de carne de porco, porque ele será eliminado durante o cozimento em temperatura elevada (71º Celsius).

Como se trata de uma gripe, os sintomas são comuns e  incluem febre, tosse, garganta inflamada, dores no corpo, dor de cabeça, calafrios e fadiga. Algumas pessoas relatam diarreia e vômitos associados ao tipo de gripe. Porém, caso o paciente apresente febre alta acima de 38º, 39º, de início repentino, dor muscular, de cabeça, de garganta e nas articulações, irritação nos olhos, tosse, coriza, cansaço e inapetência é preciso cuidados especiais e a procura de um médico.

Para prevenção o melhor método é um estilo de vida saudável com lavagem regular de mãos, ingestão de muito líquido e evitar o contato com pessoas doentes.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.