19/11/2018

Número de idosos com empregos formais cresceu em Holambra, aponta estudo

Dados são do Observatório da PUC – Campinas

Da redação 

O número de idosos com mais de 65 anos que trabalham formalmente cresceu em Holambra. Isso é o que indica uma pesquisa realizada pelo Observatório da Pontífice Universidade Católica (PUC) de Campinas (SP). De acordo com o estudo, que compreende os anos de 2010 a 2016, o crescimento foi de 62,2%.

Em 2010, primeiro ano pesquisado pela universidade, Holambra possuía 167 trabalhadores formais com mais de 65 anos. O número aumentou em 2011, quando o município registrou 189 trabalhadores. Para 2012, no entanto, o número diminuiu para 181. A partir daí, a quantidade de idosos em empregos formais na Cidade das Flores só aumentou.

Em 2016, ano mais recente computado pela pesquisa, 271 idosos com mais de 65 anos realizam atividades profissionais de maneira formal em Holambra Idosos como o avô de Bruna Araujo. “Ele tem 74 anos e trabalha de segunda a sexta-feira”, conta a jovem. Akiles Rocha também não pensa em parar. Aos 66 anos, trabalha como motorista de ambulância no município – serviço que exige reflexos extremamente aguçados.

A pesquisa aponta, no entanto, que o crescimento de empregos formais para trabalhadores com mais de 65 anos não aumenta na mesma proporção da população idosa na Região Metropolitana de Campinas (RMC). Segundo a publicação, a dinâmica social e a economia da região favorecem o empreendedorismo envolvendo os idosos, o que não deixa de ser uma maneira de complementar a renda da aposentadoria, muitas vezes insuficiente para o nível de gasto para um idoso.

O estudo chega à conclusão de que a RMC caracteriza-se como um importante centro econômico para o país, reunindo um bom ambiente de negócios e atividades produtivas complexas e de alto valor agregado.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Holambrense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.