26/10/2018

Em clima de aniversário de Holambra, prefeito destaca conquistas do município

Fernando Fiori (PTB) fala dos desafios e alegrias em comandar a Cidade das Flores

Da redação 

Neste sábado, Holambra comemora 27 anos de emancipação política. Destes, Fernando Fiori (PTB) esteve à frente do Executivo por quase seis (termina em 2018 o segundo ano do segundo mandato). Em clima de aniversário da ‘Cidade das Flores’, o prefeito concedeu uma entrevista especial ao Portal Holambrense. Durante a conversa, o petebista apontou os principais desafios na gestão de um município com tanta diversidade em sua essência, e destacou o que a população deve esperar dos próximos anos.

Como está sendo governar Holambra em um ano especial, quando a imigração holandesa completa 70 anos? Esse é um momento muito especial para a cidade, de celebração. Holambra é um município diferente e deve muito disso à cultura e aos costumes trazidos pelos imigrantes. Estar prefeito nessa ocasião é um privilégio e tenho me dedicado muito para fazer um trabalho que esteja à altura da cidade, de sua história e de suas expectativas. Tenho convicção de que fizemos muito nos últimos anos e temos ainda muitos planos a serem postos em prática antes do término desse mandato.

Qual o segredo para administrar um município com uma população tão diversa como Holambra? Não acredito em fórmulas, mas em trabalho. Em dedicação. Quando me candidatei ao cargo de prefeito, seguindo passos trilhados anteriormente pelo meu pai e pelo meu irmão mais velho, tinha plena consciência disso. Me preparei para me entregar ao cargo e fazer o melhor que pudesse fazer. E foi o que fiz nesses anos. Governar é a arte de conciliar interesses, de fazer mais com menos e de priorizar o que é bem coletivo. É isso o que me norteia todos os dias.

Percebe-se que diversas decisões estão sendo tomadas para melhorar o turismo em Holambra. Qual a importância de se reforçar estes pontos? O turismo é renda, é emprego e é oportunidade. E Holambra é uma cidade privilegiada nesse sentido, com forte vocação para essa atividade. Por sermos uma estância, apresentamos projetos e recebemos do Estado, todos os anos, aporte financeiro para obras de infraestrutura turística que nos permitem atrair novos visitantes, movimentar a economia do setor de serviços e ampliar a disponibilidade de postos de trabalho. Todo recurso empregado nessa área, portanto, beneficia diretamente o morador, que pode ainda desfrutar o ano inteiro das qualidades que tantos turistas buscam em nosso município por alguns dias. Nos últimos anos, diante da crise e do desemprego, conseguimos manter em Holambra um saldo equilibrado entre demissões e novas contratações. E o setor de serviços, empurrado em grande parte pela atividade turística, foi decisivo nesse processo. Isso só reforça a importância do trabalho voltado ao fortalecimento do turismo.

 

O planejamento previsto para 2018 está ocorrendo como esperado? O trabalho é permanente. Esse foi um ano difícil, mas de muito aprendizado e de muitas conquistas. Fizemos muito do que tínhamos nos proposto fazer, mesmo com as dificuldades impostas por um ano de eleições em que os repasses muitas vezes são suspensos e que e o setor público caminha num ritmo diferente. Mas acredito que os próximos dois anos reservam ainda muitas coisas boas para Holambra.

O que os moradores de Holambra devem esperar dos próximos dois anos de sua gestão? Tenho uma única resposta sempre que sou questionado sobre o que as pessoas devem esperar do meu mandato. É trabalho. Temos dezenas de convênios já firmados com o Estado e o Governo Federal, obras em andamento e para começar. Meu objetivo é finalizar os projetos que comecei e entregar ao meu sucessor uma cidade infinitamente melhor do que aquela que encontrei há seis anos, bem estrutura, com as contas em dia, pronta para seguir avançando.

Como você pretende entregar Holambra ao próximo prefeito? Acredito que construímos uma cidade melhor nos últimos seis anos. Assumimos em 2013 com R$ 25 milhões em dívidas atestadas pelo Tribunal de Contas, prédios e espaços públicos em situação de abandono e frota de veículos sucateada. Mesmo com o país em crise, equilibramos as contas públicas, recuperamos o patrimônio, recompusemos a frota e devolvemos a credibilidade de Holambra junto às diferentes esferas de governo, aos empresários e investidores. Pretendo entregar a casa em ordem ao próximo prefeito. Uma cidade organizada, com poder de investimento e em pleno processo de desenvolvimento.

Não tem como fugir deste assunto. Qual sua opinião sobre a corrida presidencial no Brasil? Você declara apoio a algum dos candidatos? E para governador? O Brasil vive um momento extremamente delicado. É um país dividido e que passa por um dos momentos mais difíceis de sua história. Defendi ao longo do primeiro turno uma alternativa que pudesse aliar experiência, seriedade e capacidade de pacificar os ânimos. Uma pessoa com o perfil do governador Geraldo Alckmin, que foi também responsável por muitos dos investimentos que Holambra recebeu nos últimos anos. Particularmente não acredito que a solução para os desafios do país esteja nos extremos. Torço muito pelo Brasil, para que a nação prevaleça e para que possamos seguir em frente, avançar. Penso que é momento de apostar na mudança. Para o Estado, nesse segundo turno, temos duas opções igualmente qualificadas e ligadas a partidos que compõem a base do meu governo em Holambra, com um histórico de trabalho pela cidade.

Qual o maior desafio ainda a ser cumprido na gestão de Holambra? Quando assumi o governo, em 2013, me dediquei muito à busca por investimentos do Estado e da União. Estávamos endividados e com muita coisa a ser feita. Conquistamos mais de R$ 90 milhões em investimentos para custeio de serviços, reformas e novas obras e projetos. É uma marca importante da minha administração e tenho muito orgulho disso. Em seis anos, recuperamos o setor de saneamento da cidade. Passamos a tratar 100% do esgoto da zona urbana e nos voltamos a projetos de esgotamento sanitário da zona rural. Entregamos três novas unidades básicas de saúde e novos equipamentos públicos em todos os cantos da cidade, incluindo praças, sistema de monitoramento, ginásios e outras obras importantes. Reformamos todos os prédios públicos e recuperamos a frota com mais de 60 novos veículos e máquinas. Recuperamos o calendário de eventos e a vocação turística de Holambra, gerando emprego e renda. Trouxemos cursos de capacitação, cursos técnicos e implementamos os primeiros cursos de ensino superior da cidade. Meu desafio, daqui pra frente, é concluir as ações já iniciadas, entregar as obras em andamento e deixar para os holambrenses um legado de desenvolvimento e de qualidade de vida.

Em clima de aniversário do município, que presente você gostaria de dar aos holambrenses? O maior presente que posso me propor a dar aos holambrenses é uma cidade da qual eles tenham orgulho. Temos, naturalmente, uma grande programação festiva para os próximos dias, com orquestra, shows musicais, desfile cívico e uma inauguração, mas meu maior desejo, desde o primeiro dia, é que os moradores possam dizer com orgulho e convicção que vivem em uma cidade que deu certo.

E qual o maior presente que Holambra lhe deu? Em primeiro lugar a confiança e a oportunidade de me tornar prefeito da cidade, que é a cidade que escolhi para viver e construir minha família. A chance de realizar um sonho antigo de trabalhar pelas pessoas. Depois, o reconhecimento. Ser reeleito com uma votação tão expressiva foi, sem dúvidas, um dos momentos mais felizes da minha vida. É um presente e uma gratidão que vou carregar pra sempre comigo.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Holambrense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.