01/04/2016

Neste mês, contas de luz devem vir mais baratas em Holambra

Bandeira verde entrou em vigor e deve diminuir gastos em todo o território nacional.

As contas de luz dos holambrenses devem vir mais baratas no mês de abril. Isso se deve à bandeira tarifária verde que entrou em vigor em todo território nacional a partir do dia primeiro sem a cobrança de taxa extra de serviço. Desde que o sistema entrou em vigor, em janeiro de 2015, é a primeira vez que não haverá cobrança extra nas contas. O único estado que não tem a aplicação da medida é Roraima, por não fazer parte do Sistema Interligado Nacional.

luz

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o que contribuiu para a aplicação da bandeira verde foram a evolução positiva do período úmido de 2016, que recompôs os reservatórios das hidrelétricas; o aumento de energia disponível com redução de demanda; e a adição de novas usinas ao sistema elétrico brasileiro.

Conforme apontou a Diretoria da Agência, a determinação foi feita a partir da simulação dos custos a serem cobertos pela Conta Bandeiras Tarifárias, de forma a assegurar o equilíbrio entre usos e recursos e sinalizar aos consumidores o custo real da energia elétrica.

Bandeiras

As bandeiras tarifárias são indicadas por meio das cores verde, amarelo e vermelha e apontam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração de eletricidade.

Assim se o consumo mensal foi de 60 kWh, por exemplo, no primeiro patamar de bandeira vermelha o valor seria de 0,6 multiplicado por R$ 3, o que dá um total de R$ 1,80. Para o mesmo consumo, em bandeira amarela, o valor assim calculado em 0,6 multiplicado por R$ 1,50, o que totalizaria R$ 0,90.

Já para o consumo mensal de 200 kWh, no primeiro patamar de bandeira vermelha o valor seria de R$ 6 (2 x R$ 3). Para o mesmo consumo em bandeira amarela o valor total seria de R$ 3 (2 x R$ 1,50). A esses valores são acrescentados os impostos vigentes. Com a bandeira verde, não há acréscimo. Ou seja, quem pagou, no exemplo acima, R$ 3 em março, não pagará nada sobre o consumo de abril.

Na tabela abaixo estão as bandeiras tarifárias cobradas a partir de janeiro de 2015, em valores sem impostos.

1

Antes das bandeiras, as variações que ocorriam nos custos de geração de energia, para mais ou para menos, eram repassados em até doze meses no reajuste tarifário anual da distribuidora – o que aumentava os índices de reajuste. Com o sistema, as bandeiras não interferem nos itens passíveis de repasse tarifário.

A bandeira é aplicada a todos os consumidores, multiplicando-se o consumo (em quilowatts-hora, kWh) pelo valor da bandeira (em reais), se ela for amarela ou vermelha.

Em bandeira vermelha, o adicional é de R$ 3,00 (patamar 1) e R$ 4,50 (patamar 2), aplicados a cada 100 kWh (quilowatt-hora) consumidos.

A bandeira amarela representa R$ 1,50, aplicados a cada 100 kWh (e suas frações).


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.