28/10/2019

Conta de luz ficará mais cara em Holambra

Novembro contará com bandeira tarifária vermelha

Da redação

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que a bandeira tarifária para o mês de novembro será a vermelha, no patamar 1, quando há um acréscimo de R$ 4 para cada 100 quilowatts-hora consumidos. Em outubro, a bandeira foi a amarela, cujo acréscimo na conta era de R$ 1.

De acordo com a agência, a decisão de elevar o patamar da bandeira se deve ao fato de que, apesar de novembro ser o mês de início do período chuvoso nas principais bacias hidrográficas do país, o regime de chuvas está abaixo da média histórica.

“O regime de chuvas regulares nessas regiões tem se revelado significativamente abaixo do padrão histórico. A previsão hidrológica para o mês também aponta vazões afluentes aos principais reservatórios abaixo da média, o que repercute diretamente na capacidade de produção das hidrelétricas, elevando os custos relacionados ao risco hidrológico (GSF)”, explicou a Aneel.

A agência disse ainda que nesse cenário aumenta a demanda de acionamento de usinas termelétricas, cujo custo de produção é mais alto, o que incide sobre da energia.

Sistema de bandeiras

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico (GSF, na sigla em inglês) e o preço da energia (PLD).

O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

No dia 21 de maio, agência aprovou um reajuste no valor das bandeiras tarifárias. Com os novos valores, caso haja o acionamento, o acréscimo cobrado na conta pelo acionamento da bandeira amarela passou de R$ 1 para R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos. Já a bandeira vermelha patamar 1 passou de R$ 3 para R$ 4 a cada 100 kWh e no patamar 2 da bandeira passou de R$ 5 para R$ 6 por 100 kWh consumidos. A bandeira verde não tem cobrança extra.

Os recursos pagos pelos consumidores vão para uma conta específica e depois são repassados às distribuidoras de energia para compensar o custo extra da produção de energia em períodos de seca.

Formas de economizar energia

  • Chuveiro elétrico: tomar banhos mais curtos, de até cinco minutos; selecionar a temperatura fria ou morna durante o verão; verificar as potências no chuveiro e calcular o consumo
  • Ar condicionado: não deixar portas e janelas abertas em ambientes com ar condicionado ligado; manter os filtros do aparelho sempre limpos; reduzir ao máximo o tempo de utilização do ar condicionado; instalar cortinas nas janelas que recebem diretamente a luz do sol.
  • Geladeira: deixar a porta da geladeira aberta somente o tempo que for necessário; regular a temperatura interna de acordo com o manual de instruções; nunca colocar alimentos quentes dentro da geladeira; reservar espaço para ventilação na parte de trás da geladeira e não utilizá-la para secar panos e roupas; não forrar as prateleiras da geladeira; descongelar a geladeira e verificar as borrachas de vedação de forma regular.
  • Iluminação: aproveitar a iluminação natural nos ambientes, lâmpadas econômicas e apagar a luz ao sair dos cômodos da casa; pintar as paredes dos ambientes com cores claras.
  • Ferro de passar: juntar roupas para passar de uma só vez; separar as roupas por tipo e começar por aquelas que exigem menor temperatura; nunca deixar o ferro de passar ligado enquanto faz outra coisa.
  • Aparelhos em stand-by: retirar os aparelhos da tomada quando possível ou, também, durante longas ausências da residência.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Holambrense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.