03/07/2019

Associação de Holambra promove Fórum em proteção ao Meio Ambiente

Associação de Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Holambra (AEAAH) promove o 1º Fórum Regional de Resíduos Sólidos, nesta quarta-feira (3), no Centro de Convenções da cidade

Com base na proposta de fazer com que as pessoas envolvidas nas questões que contemplam os resíduos sólidos e as necessidades legais de proteger o meio ambiente, a Associação de Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Holambra (AEAAH) promove o 1º Fórum Regional de Resíduos Sólidos, nesta quarta-feira (3), no Centro de Convenções da cidade.

O evento, aberto ao público, acontece das 8h às 17h e reunirá os mais atuantes profissionais na área do meio ambiente. “A proposta é traçar o perfil dos municípios quanto à gestão de seus resíduos, indicando, talvez, a regionalização como uma opção para a sustentabilidade”, explica a presidente da AEAAH, Silvia Sartorelli. O evento tem o apoio do Instituto Movimento Cidades Inteligentes (IMCI), CREA-SP, Consab – Saneamento Ambiental, Mutua, Faculdade de Agronegócio de Holambra (FAAGROH) e Prefeitura Municipal de Holambra.

“Para se construir um modelo de cidade que entregue uma melhor qualidade de vida, não tem como não olhar para o básico. E o básico está dentro do saneamento e da gestão de resíduos”, instrui o presidente do Instituto Movimento Cidades Inteligentes, Luigi Longo, que será um dos palestrantes do Fórum.

Formado pelas cidades de Artur Nogueira (SP), Conchal (SP), Cordeirópolis (SP), Cosmópolis (SP), Engenheiro Coelho (SP), Holambra, Jaguariúna (SP), Matão (SP) e Santo Antônio de Posse (SP), o Consórcio Intermunicipal de Saneamento Ambiental da Região de Campinas (Consab) apresentará exemplos práticos de como as ações conjuntas podem ser benéficas aos municípios.

Os resíduos de construção civil (chamados de entulho) estão sendo reaproveitados na manutenção das estradas rurais. Para tanto, é feita a britagem (fragmentação de grandes materiais) com o Equipamento Móvel de Britagem de Resíduos da Construção Civil, utilizado em rodízio pelos municípios consorciados.

De acordo com relatório de atividades executadas no ano de 2018 – apresentado pela diretora técnica Bianca Refundini Magnusson, do Consab -, foram recolhidas 29.075 toneladas de resíduos da construção civil no ano passado, que equivalem a 3.029 caminhões com capacidade para o transporte de 8 metros cúbicos cada. A transformação desses resíduos em brita proporcionou uma economia de R$ 1.100.779,50 para os municípios que se utilizaram desta solução.

Outro exemplo é o Ecoponto “Ponte de Tábua”, criado pelo Consab em Artur Nogueira (na Rodovia dos Agricultores, que liga a cidade a Mogi Mirim). No local são coletados resíduos inservíveis – como lâmpadas, pneus, pilhas, baterias, medicamentos vencidos, eletrônicos e óleo de cozinha usado – para suas posteriores destinações adequadas.

O Ecoponto conta com um espaço dedicado a atividades de educação ambiental, como a coleta seletiva e a discussão sobre compostagem. As crianças de 6 a 10 anos de idade que visitam o espaço podem conhecer a horta orgânica disposta no local, as hortas verticais, a composteira e o pula-pula feito de pneus reutilizados. Com o óleo de cozinha que é coletado ali e nas escolas municipais – por meio do projeto Sabão Ecológico -, se faz a produção de sabão para distribuição à população, graças ao reaproveitamento deste resíduo.

As soluções também passam pela coleta, descontaminação e destinação final de lâmpadas incandescentes (20.530 lâmpadas, em 2018) juntamente com projetos de Iluminação Pública (manutenção de mais de 15,6 mil pontos); coleta de resíduos de serviço da Saúde, incluindo  medicamentos vencidos (208.078,80 quilos recolhidos) e a coleta, transporte, transbordo e destinação final de resíduos sólidos domiciliares e comerciais para o aterro sanitário que, no ano passado, somaram 70.207,37 toneladas. Há também a coleta de pneus inservíveis e de lixo eletrônico e a disponibilidade, de acordo com a necessidade dos municípios, de um “picador de galhos” cuja função é cortar os galhos oriundos de podas de árvores, ramos, folhas e cercas vivas.

Estudo do lixo

A gravimetria (análise que permite saber a quantidade de uma substância em determinada mistura, ou seja, a característica do lixo de cada cidade) dos resíduos sólidos domiciliares dos municípios consorciados ao Consab demonstrou que, apesar de todas as ações e projetos em desenvolvimento, ainda há muito material reciclável sendo descartado inadequadamente nessas cidades.

“Este diagnóstico é importante para avaliar o potencial de recuperação dos materiais e reduzir riscos. Por isso, a conscientização da população ainda é um trabalho importante a ser realizado”, esclarece a diretora técnica da Terra Saneamento Ambiental, Cilene Novaes Santos, responsável pelo estudo.

Por esse motivo, a AEAAH quer o envolvimento das prefeituras da região, das entidades que atuam na área do meio ambiente, dos professores e de toda a comunidade neste amplo debate sobre o tema. “Vamos aproveitar a oportunidade para lançar a Cartilha da Reciclagem, a ser distribuída aos moradores de Holambra e aos turistas, visando à conscientização quanto ao destino do lixo, com orientações sobre a separação dos resíduos”, explica Silvia Sartorelli.

1º Fórum de Resíduos Sólidos
Dia: 3 de julho (próxima quarta-feira)
Local: Centro de Convenções de Holambra (Alameda Mauricio de Nassau, 249, ao lado do Moinho Povos Unidos)

Programa

  • 8h: Recepção e credenciamento
  • 8h30: Abertura Oficial
  • 9h30: “Sustentabilidade no dia a dia” – Neuza Árbocz, ambientalista
  • 10h: “Gestão de resíduos para Cidades Inteligentes” – Luigi Longo, presidente do Instituto Movimento Cidades Inteligentes
  • 10h30: “Logística Reversa e Economia Circular” – Valdemir Aparecido Ravagnani – Mimo, superintendente do Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos da Região Metropolitana de Campinas (Cosimares)
  • 11h: “Apresentação do Consórcio Intermunicipal de Saneamento Municipal (Consab)” – Nilson Marconato, diretor de Agricultura e Meio Ambiente de Holambra, e “Gestão de resíduos” – Cilene Novaes Santos, sócia e diretora técnica da Terra Saneamento Ambiental
  • 12h: “Gestão de Inspetorias” – Marcelo Paes Maciel, chefe da Unidade de Gestão de Inspetorias de Campinas do CREA-SP
  • 14h: Oficinas temáticas sob a coordenação da ecóloga e mestre em geoprocessamento Silvia Weel, da ambientalista Neuza Árbocz e do diretor-executivo do Instituto Movimento Cidades Inteligentes, Gavroche Fukuma, com o apoio de Terrara Meio Ambiente e Paisagismo, de propriedade de Claudia Vaamonde
  • 15h45: Compartilhamento de ideias
  • 17h: Encerramento

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Holambrense


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.