14/11/2017

Holambra registra queda de abandono escolar nos dois últimos anos

Números relacionados à rede estadual mostram resultados positivos para o município

Nathália Lima

Educação. Esta é a única maneira pela qual mudamos o mundo. Já ouviu-se falar muito a respeito de jovens que param de estudar para trabalhar e sustentar a família. Adolescentes que não têm gosto pela leitura e, consequentemente, não ficam na escola “até o fim”. No Brasil, em 2016, segundo o Censo Escolar, a taxa de abandono escolar no Ensino Fundamental foi de 2,2% e o do Ensino Médio 7,5% apenas na rede pública.

Os números são absurdos e mostram, de maneira assertiva, quais são os problemas na educação como um todo em terras tupiniquins. Apesar de complexo, este é um assunto atual que não afeta apenas cidades das zonas mais populosas do Brasil. A evasão escolar também está presente em municípios pequenos e simpáticos, como Holambra.

A “Cidade das Flores”, apesar de manter uma constante, apresentou, nos últimos dois censos, taxas um tanto quanto altas de evasão escolar, mas que diminuíram nos últimos dois anos. Os números, disponibilizados pela Secretaria de Educação do Estado apontam decréscimo nas taxas de “fuga” da rede estadual do município.

Apenas no ano passado, 7,15% dos alunos da rede estadual saíram da escola em Holambra. Apesar de alta, a taxa sofreu queda quando comparada com ano de 2015, quando 10,46% dos alunos matriculados na escola se afastaram dos estudos.

Em nota, a Secretaria de Educação do Estado informou que a queda na evasão escolar é resultado de um trabalho constante idealizado pelo órgão e posto em prática pelas instituições da rede. A Pasta desenvolve ações constantes de combate à evasão escolar. “Todas as unidades paulistas de ensino são orientadas a desenvolver ações a fim de evitar o abandono escolar e contam com o auxílio do Conselho Escolar em casos em que não há sucesso no contato com os pais”, acrescenta o comunicado. De acordo com a Secretaria, as escolas ainda devem disponibilizar a opção de compensação de ausência dos alunos que têm até 25% de faltas no ano.

Ainda de acordo com o órgão, os dados relacionados a 2017 serão divulgados apenas em maio de 2018.

No município

Em contrapartida com os dados do Estado, a rede municipal de Educação não registrou, em 2016 e 2017, nenhum caso de evasão escolar. Segundo a Diretoria do município, os resultados são provenientes do bom trabalho realizado pelos profissionais da pasta.

De acordo com o diretor municipal de Educação, Amarildo Boer, a proximidade entre a família e a escola é a principal ferramenta para evitar casos de abandono escolar. “Buscamos manter um contato próximo com pais e responsáveis nas unidades de ensino do município, além de trazê-los sempre que possível para o convívio no ambiente escolar”, explica o diretor. “A participação da família e o vínculo com a escola são muito importantes no sentido de evitarmos o abandono, a evasão”, acrescenta Boer.

Quem Falta Faz Falta

A Secretaria da Educação do Estado, a fim de combater a evasão escolar, mantém o programa “Quem Falta Faz Falta”, com o objetivo de reduzir o número de faltas no ano letivo, fazendo com que o aluno permaneça na escola. A partir de uma nova legislação foi estabelecido um teto de 10% de falta, contra os 20% exigidos desde 2008.

Ao identificar ausências não justificadas por mais de uma vez na semana, pais e responsáveis são acionados. As ações incluem telefonemas, envio de comunicado e registro dos casos no Conselho Tutelar e Vara da Infância. No site do projeto estão disponibilizadas legislações sobre o tema e boas práticas que resultaram em prevenção ao abandono escolar.

……………………………………..

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Holambrense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.