01/09/2017

Educador físico tira dúvidas sobre exercícios e esclarece mitos sobre profissão

Leonardo Carvalhaes é professor de Educação Física e há 20 anos atua na área

Da redação

No dia 1º de setembro se comemora o dia do Educador Físico. Este profissional, presente nas academias e estúdios, trabalha para cuidar da saúde dos indivíduos por meio de exercícios e repetições que atendam as necessidades de cada um.

Leonardo Carvalhaes é professor de Educação Física formado pela Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep) e atua na área há 20 anos. O professor, que ministra aulas e treinamentos em várias modalidades como ciclismo indoor, corrida em esteira e de rua, e musculação, tira dúvidas sobre a prática de exercícios físicos e esclarece os mitos sobre a profissão.

Qual a função do educador físico? O profissional de Educação Física, contratado por uma academia, tem a função de avaliar, planejar e aplicar o treinamento físico adequado às necessidades e objetivos desejados pelo cliente/aluno. Nesse contexto, estão envolvidas atividades diárias e rotineiras como: tirar dúvidas, regular ergonomicamente os aparelhos para o praticante, manter o ambiente organizado e seguro para a prática da atividade, correções na execução de exercícios, entre outras coisas.

Quais os mitos que existem sobre essa profissão? Durante muito tempo, a profissão de educador físico ficou marcada como a recreação das universidades. Uma profissão que não exigia muito estudo, dedicação ou pesquisa. Ou seja, era só diversão, jogar bola e não estudar. Mas isso foi reflexo do que era visto nas escolas. Professores que não se comprometiam com a profissão e sua real importância. Assim a sociedade passou a não dar importância a profissão, e quando um filho decidia estudar educação física, os pais não gostavam muito. Outro mito que envolve a profissão é a imagem de uma atividade mau remunerada. No meu entender, essa é uma questão que envolve mais o empreendedorismo de cada um e/ou a vontade de crescer e se desenvolver na profissão.

Qual a importância da regularidade de exercícios para uma pessoa? Toda vez que falamos em atividade física não recreacional, ou seja, sempre que houver um objetivo maior como: perder peso, aumentar massa muscular, melhorar condicionamento físico, se preparar para uma competição ou um teste, é importantíssimo ter regularidade. Sem ela, os resultados e as adaptações necessárias para que eles aconteçam não se fixam. E o resultado é o “efeito sanfona”. É como se diz por aí: “a motivação te tira do regresso e a frequência te leva ao sucesso.”

Praticar exercícios sem orientação de alguém pode ser prejudicial? Com certeza, a orientação profissional é fundamental para o praticante. Apesar de vivermos em uma época de muita interatividade cultural, social e porque não dizer educacional, precisamos usar com muito critério e racionalidade as informações obtidas de maneira informal na internet ou através de amigos. Quem possui essa capacidade de avaliar o que serve para o seu objetivo é um profissional, seja ele da educação física, da nutrição, ou da medicina. De outra maneira você se expõe à um risco desnecessário, afinal, estamos lidando, acima de tudo, com a saúde e a longevidade das pessoas.

Como avaliar se uma academia tem qualidade? Uma academia de qualidade deve apresentar principalmente clientes fiéis e satisfeitos com os serviços prestados, experiência e tempo de mercado. Mas para escolher uma academia de qualidade, ela deve apresentar as seguintes referências:

  • Profissionais habilitados (inscritos no conselho regional de educação física) e capacitados (com currículos que os capacitem para a instrução daquela atividade);
  • infraestrutura adequada para a prática das atividades, espaço, ventilação, sonorização agradável e estimulante, iluminação adequada, máquinas e aparelhos atuais e modernos;
  • interatividade constante com seus clientes. Hoje em dia a internet apresenta ferramentas online que auxiliam o desenvolvimento de uma boa relação e prestação de serviços entre academia e aluno, como aplicativos em smartphones e software de gestão;
  • boa localização, que facilite o acesso de seus frequentadores;
  • parcerias, que agreguem valor aos serviços e tragam facilidades aos clientes.

Qual a importância da alimentação no processo de emagrecimento? Eu considero a alimentação o fator principal no processo de emagrecimento. O exercício é um catalisador, um acelerador do processo. Se pensarmos em uma pessoa que, por algum motivo muito especial, não pode se exercitar, a única alternativa é se reeducar nutricionalmente. E nesse processo, a atuação do nutricionista é fundamental. É ele quem planeja, calcula e distribui de maneira individual as necessidades nutricionais de cada um, para cada objetivo. Não é apenas frango e batata doce.

A partir de que idade posso começar a ir à Academia? Falando especificamente da musculação, em tese, não existe idade para se começar a fazer força. Desde muito cedo, a criança agacha e levanta, empurra e puxa, movimentos básicos para a prática de musculação. Porém, quando se fala em treinamento, é necessário levar em conta o amadurecimento que a criança apresenta, tanto físico como intelectual. A musculação não tem nada de recreativo e lúdico, é uma atividade que necessita de frequência, dedicação, auto controle e paciência, características que demoram mais para se desenvolver nos jovens. Na idade entre os 14 e 16 anos, as crianças começam a entender algumas mudanças que acontecem em suas vidas para a vida adulta. Uma academia, com professores bem preparados e capacitados, é capaz de atender a todo o público, de todas as idades.

Qual o melhor tipo de exercício para idosos? Para dizermos qual o melhor exercício precisamos entender o idoso. Um idoso que nunca praticou atividade física ou que apresenta limitações física pela própria idade ou doenças precisa de atividades seguras, bem monitoradas, em ambientes claros e ventilados. Essas atividades não devem o expor a riscos como: tombos, impactos ou traumas. A musculação é excelente nesse sentido. Ela proporciona progressão gradativa de intensidade, controle total de movimentos, aparelhos seguros e ergonomicamente adaptados. Se para esse idoso, a musculação é excelente, para os demais, ela é fantástica.

Se eu não quero ganhar massa, mas só perder a barriga, que tipo de exercício devo praticar? Todos, qualquer um. De preferência uma atividade que você sinta prazer em realizar, assim, você se fideliza e garante regularidade na prática de atividade física. Perder gordura localizada, não depende de exercício e sim de dieta. Lembrando que o desenvolvimento da massa muscular corporal é diretamente dependente de estímulo (treinamento com pesos, musculação) e principalmente de dieta também. Ou seja, é possível fazer musculação para emagrecer, sem desenvolver massa muscular, desde que se adeque a dieta para esse objetivo.

……………………………………..

Créditos de imagem: Vanessa Sallesaro.

Tem uma sugestão de reportagem? Clique aqui e envie para o Portal Holambrense.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.